Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Aquele abraço sincero

Hoje um casal de idosos do meu prédio precisou de ajuda a subir as escadas. Não fiz mais do que é meu dever ao ajudar, mas a senhora quis agradecer-me com um abraço enquanto se emocionava com o facto de ambos estarem a passar uma fase difícil no capítulo saúde. Que gesto bonito de alguém que não tinha obrigação de agradecer mas que, ainda assim, achou que todos os "obrigada" repetidos a cada escada não eram suficientes. Que sensibilidade. Devia ter-lhe dito que a minha ajuda não foi nada comparada com aquele abraço sincero, aconchegante. E logo num dia em que estava a precisar de um abraço a sério, sem palmadinhas nas costas. Não de um abraço porque sim mas de um abraço com significado, com sentido. A boa ação foi aquele abraço.  

O novíssimo "Wild Love" de James Bay

James Bay, "o príncipe dos acústicos", deixou o chapéu, cortou o cabelo e trouxe arrojo ao novo tema "Wild Love". Não se preocupem porque a guitarra e o talento não faltaram à sessão. Bem... Sei que os fãs andam muito preocupados com o estilo, eu acho que é para acompanhar uma nova irreverência que o músico sentiu necessidade de experimentar. E como eu o apelido de "príncipe dos acústicos" porque tudo o que ele canta fica fantástico em acústico, acredito que ao vivo ficará bem mais agradável. Mas não desgosto da canção. E é "wild love, the kind that never slows down" como diz a letra!