Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Posso ir entregar três Óscares?

É assim... Gostava de ir até Hollywood apenas para entregar três prémios que não tenho a certeza se serão entregues pela Academia de Cinema dos Estados Unidos. Algo que me deixa chateada, incomodada e até irritada.

 

Em primeiro lugar o Óscar de Melhor Banda Sonora Original.

No momento em que ouvi a banda sonora do filme "Her", de Spike Jonze, tive a certeza que este filme merecia o Óscar. Para além de ser uma composição de Will Butler Owen Pallett, é interpretada na sua grande maioria por uma das melhores e mais aclamadas bandas do indie rock mundial: os Arcade Fire (banda da qual Will Buttler faz parte). As músicas são perfeitas. Não consigo escolher a que gosto mais, porque cada uma tem pormenores que me deixaram surpreendida. Linda, linda esta banda sonora. Merece tanto este Óscar!! Aconselho vivamente a ouvirem!

 

Depois, o Óscar de Melhor Actor Principal.

Leonardo DiCaprio já está a merecer este óscar há um bom par de anos. Sinceramente, quando vi o Inception («A Origem», em português), esperava que DiCaprio conseguisse o prémio pela primeira vez mas nem chegou a ser nomeado. Fiquei estupefacta por tal não ter acontecido, a sério. Ele é um dos melhores actores de Hollywood e a grande maioria dos seus trabalhos são prova disso, uma vez que tem representado com excelência desde o primeiro filme que lhe valeu algum reconhecimento mediático, Romeu e Julieta. Sendo que a carreira do actor justifica (e muito!) a vitória, contrario todas as espectativas e digo que, por mim, este Óscar ia direitinho para as mãos de Leonardo DiCaprio.

 

 

E por último, o Óscar de Melhor Actor Secundário.

Este é o que me causa menos dúvidas de que irá ser entregue à pessoa certa. No entanto, e tendo em conta que imprevistos acontecem um pouco por todo o Mundo mas principalmente em Los Angeles em dia de cerimónia dos Óscares, considero imperativo que Jared Leto seja o eleito nesta categoria. O seu trabalho de preparação para «O Clube de Dallas» foi impressionante, o que resultou numa personagem construída de uma forma muito sólida. Merece e acho que, ao contrário dos anteriores, vai ser reconhecido!     

 

Procurei e encontrei!

Procurei esta música durante tanto tempo e finalmente encontrei-a. Embora o vídeo apresente Cuca Roseta como a grande figura da música, foi Ricardo Afonso que fez uma performance magnífica. Quando fiz zapping para o Concerto de Natal da RTP em Dezembro passado, estava longe de imaginar que ia ter a oportunidade de ouvir isto. Mas foi momento arrepiante. Aliás, todo o concerto foi muito bom o que, vendo bem as coisas, era previsível. Com Rui Massena como Maestro era difícil (aquele difícil que fica mesmo, mesmo ao lado do impossível!) que este concerto se transformasse num fiasco. Gostava apenas de repetir mais uma vez o seguinte... Ricardo Afonso esteve absolutamente irrepreensível. Adorei esta versão.  

 

Se o meu aniversário estivesse a chegar... #13

 

Já muitas pessoas sabem que o facto de a Adidas apresentar novos produtos é sinónimo de várias ilusões desfeitas. Principalmente as ilusões relacionadas com a afirmação "Não compro mais sapatilhas até 2015". Como certamente já perceberam, este não é um blogue de moda, e portanto, considerando a minha preocupação (ou melhor: a falta dela) com a estação em que é suposto usá-las, não sei a qual colecção pertencem estas Adidas Superstar mas a verdade é que elas são simplesmente lindas. De facto, se alguém me disser que elas são de 2000 só significa uma coisa para mim: provavelmente estão em saldo, ou seja, estariam a um preço mais acessível. Logo, seriam elegíveis como prenda de aniversário. Gosto delas e pronto!

 

            

A mais recente cor da bandeira

Não lhe chamaria uma surpresa, mas sim uma boa novidade. "Bandeira Branca", a primeira música conhecida do segundo álbum dos PAUS, Clarão, que sai no final deste mês, já está no Youtube para que todos a possam ouvir. E não está sozinha uma vez que se faz acompanhar de um vídeo bastante interessante e, diria eu, com ambiente experimental.  

A música tem o selo de qualidade dos PAUS e, por isso, outra coisa não seria de esperar senão excelência. Destaco o instrumental, que é perfeito, não desfazendo os restantes elementos que compõe esta "Bandeira Branca". E, claro, tornou-se em mais uma das músicas que têm presença obrigatória entre as melodias que animam os meus dias.

Ontem vi o vídeo e ouvi a música, hoje passou-se o mesmo. Este é um processo que prometo repetir até ao Optimus Alive, festival em que irei ouvir ao vivo esta e outras novidades do segundo disco desta banda portuguesa.