Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

39 anos de Liberdade?

Hoje celebramos os 39 anos do 25 de Abril, o golpe de Estado que, em 1974, valeu a vitória do nosso orgulho e da nossa força enquanto povo, enquanto país, erradicando a ditadura que nos aprisionou por mais de 40 anos. Portugal tornava-se um país livre e democrático (embora esta questão seja frequentemente discutida e essa liberdade, muitas vezes, posta em causa). É nosso dever agradecer a quem lutou para que hoje pudéssemos dizer: sou livre! Embora considere que podemos apenas dizer que a nossa liberdade é relativa. 

Pessoalmente agradeço por quem lutou para que os jornalistas tivessem a possibilidade de exercer a sua profissão com recurso à liberdade de expressão. Considero que existe, de verdade, essa possibilidade mas que ela nem sempre é tida em conta. Porquê? Na minha opinião, há quem se deixe corromper por outros valores (como valores monetários, por exemplo) ou quem escolha ceder a pressões (políticas, institucionais...). É pena que existam tantos interesses a ser movidos em volta das questões da sociedade, o que acaba por interferir, mais do que se possa pensar, com a informação que recebemos. 

Assim, e como aspirante a jornalista, muito obrigado pela Liberdade de expressão e informação (Artigo 37º da Constituição da República Portuguesa) e pela Liberdade de Imprensa e meios de comunicação social (Artigo 38º da Constituição da República Portuguesa).

 

Artigo 37.º Liberdade de expressão e informação (retirado da página da Assembleia da República)

 1. Todos têm o direito de exprimir e divulgar livremente o seu pensamento pela palavra, pela imagem ou por qualquer outro meio, bem como o direito de informar, de se informar e de ser informados, sem impedimentos nem discriminações.

 2. O exercício destes direitos não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo ou forma de censura.

(25 de Abril de 1974, Largo do Carmo, Lisboa)
(Uma das fotografias mais conhecidas e que mais vezes aparecia nos manuais de História, no que ao 25 de Abril diz respeito, durante o meu tempo de estudante)

 

A "Revolução dos Cravos", como ficou conhecida, é a prova que o destino dos portugueses não está nas mãos de um ou dois mas sim de quem luta, todos os dias, para que o país "funcione". Embora, o esforço de todos não esteja, de momento, a ser considerado pelo Governo de Portugal, temos de continuar a lutar, porque tempos mais positivos estão para vir e a nossa força vai ajudar-nos a sobreviver.

25 de Abril sempre, viva Portugal!