Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

A playlist do Mikael, autor do blogue Que Amor é Este

Mikael é autor de um dos blogues mais incríveis da blogosfera. Todo o blogue é música, daí o nome ser "Que Amor é Este?". Uma interrogação que certamente os apaixonados por acordes e melodias fazem muitas vezes. Como podemos ser tão afectados por uma canção, como é possível gostarmos tanto de um intérprete ou de uma banda? "Que Amor É Este" que nos faz gastar dinheiro em bilhetes de concertos, em passes para festivais, em CDs, cassetes, discos de vinil...  Uma das coisas mais interessantes destas coisas de blogues é perceber que há outras pessoas que se interessam pelas mesmas coisas que nós, que partilham esta entrega, neste caso específico à música. São pessoas com quem podemos trocar ideias, conhecimento e playlists! O Mikael publica várias playlists no seu blog, todas incríveis. Há uns tempos, o Mikael e eu combinámos que iríamos trocar playlists nos nossos blogues, sendo que muitas das músicas que ouvimos são semelhantes no estilo. Chegou o dia! E o Mikael tem uma mensagem para vocês:

 

Olá a todos.
Esta playlist com as musicas que mais tenho ouvido nos últimos dias é completamente um espelho da pessoa que a está a fazer. É cheia de sentimento, de amor e desamor, corações partidos e de histórias que fazem parte da vida de toda a gente.
O meu obrigado de coração à Joana por me deixar fazer parte da história do Few days on land, já perdi a conta às coisas que descobri aqui e que agora fazem parte das minhas playlists, e é um orgulho poder deixar um bocadinho daquilo que eu ouço.
Boa semana :))


Foo Fighters - Walking After You // Sonder - Too Fast // Incubus - Wish You Were Here
Royksopp - What Else Is There // Portishead - Only You // Angel Olsen - Pops
Beach House - Take Care // Sharon Van Etten - Taking Chances // Slowdive - Crazy For You
Smashing Pumpkins - Never Let Me Down Again // The XX - Sunset
James Blake - Limit to Your Love // Sylvan Esso - Coffee // The Acid - Basic Instint
Frank Ocean - Thinking About You // Daniel Caesar - Get You // Placebo - Begin The End
Melody Echo Chamber - You Wont Be Missing That Part Of Me // Surma -Plass
Father John Misty - I Went To the Store One Day

playlist_blogue_que_amor_e_este.jpg

 

P.S. Obrigada ao Mikael pela disponibilidade e pela fantástica playlist que nos deixa aqui. Quem me conhece e lê este blogue sabe que muitas das músicas que eu ouço estão aqui.

 

Links: Blogue "Que Amor É Este" // Instagram do Mikael (é só concertos e setlists dos mesmos) 

Festival da Canção: o meu top 3

Depois de ouvidos os temas da 1.ª e da 2.ª semifinal do Festival da Canção e de apurados os temas para a final de Guimarães, defini um pequeno top com as que considero serem as três melhores músicas e interpretações. É óbvio que tenho uma preferência (para que seria um top numerado se assim não fosse), mas desde que o artista selecionado para nos representar seja um dos três que identifico ficarei feliz.

 

Número 1: janeiro, "(sem título)"

Digam que ele é igual ao Salvador, eu vou contradizer-vos. Digam que ele tenta imitá-lo, mais depressa o faço. Inspirações existem, ídolos existem, amigos com os quais nos identificamos e com quem partilhamos características da nossa personalidade também. Salvador Sobral existe um, tal como janeiro. 

A existência em palco é completamente diferente, a música é ainda mais "despida" de arranjos instrumentais. A voz é doce e o acento é maravilhoso. Janeiro, um rapaz de fato-macaco, sentado numas escadas, com auriculares nos ouvidos, um ar de nerd e uma fita na cabeça a tocar guitarra e a cantar-nos ao ouvido um poema brilhante sobre como o amor pode ser tão maior do que 10 Lisboas (não podia concordar mais!). Um representante que menciona Lisboa na canção quando a Eurovisão acontece pela primeira vez em Portugal. Querem diferente de Salvador? Aí o têm. Dispenso outros episódios de bastidores que nada têm a ver com o que devíamos estar aqui a julgar: canções. Tenho dito. 

 

 

 

Número 2: Cláudia Pascoal/Isaura, "O Jardim"

Foi a primeira coisa que disse esta manhã no Facebook do Few days on land: fazia falta na final uma canção que fosse verdade, cor e movimento em três minutos. E, mais importante, mantendo a sensibilidade da interpretação e da letra. Cláudia Pascoal e Isaura conseguiram-no. A verdade é a da letra, uma história real, uma despedida sentida. A cor dos pormenores melódicos que na voz da Cláudia ficam incríveis. E o movimento dos acordes e arranjos. Quem disse que uma música de despedida não pode ter um ritmo marcado e distinto? Esta música tem voz, letra, música e interpretação na dose certa e por isso funciona tão bem. Emocionei-me.

 

 

 

Número 3: Diogo Piçarra, "Canção do Fim"

O talento do Diogo é indiscutível, tanto como cantor como enquanto letrista. Soube construir uma carreira depois de participar num talent show, encontrou um público fiel e é hoje um dos mais acarinhados músicos pop portugueses. Se não fosse por mais nada, por aquilo que alcançou já seria um digno representante. Mas depois aparece-nos com a "Canção do Fim" e anexa outra justificação à escolha. Estava à espera de mais, confesso. Algo com um ritmo mais marcado, mas que não perdesse a capacidade de emocionar-nos a todos. O Diogo faz isso muito bem. A música "Verdadeiro" é um claro exemplo de uma canção que consegue mostrar toda a amplitude vocal de Diogo Piçarra e ao mesmo tempo envolver-nos na história que é contada. 

A "Canção do Fim" é belíssima. Com todo o sentimento da interpretação e com os instrumentais pauta pela diferença (foi também o que convenceu na vitória do Salvador no ano passado). Eu entendo a mensagem que o Diogo quis passar mas acho que se torna repetitiva no contexto da Eurovisão, falando deste ano em específico (não sei se já ouviram falar da mensagem da música italiana?). Sinceramente, não acho que seja das melhores letras do Diogo. E não me fez sentido ele estar sentado no meio dos músicos. Bancos a girar? Ora apetece estar de perfil, ora de frente... Acho que devem pensar numa forma melhor de arranjar o palco para a final. A voz é incrível? É sim senhor. A melodia é boa q.b., mas esperava mais. Ainda assim, dentro das opções, parece-me uma boa escolha para a Eurovisão.   

 

 

 

Só mais uma coisa... Percebo que nesta altura ainda seja uma escolha que depende de quem consegue comunicar mais com o público, de quem passa melhor a mensagem ou de quem tem a música que emociona, sensibiliza ou simplesmente chama mais à atenção. Mas, sinceramente, acho que depois de selecionada a música vencedora devemos apoiá-la e não lançar críticas e ataques nas redes sociais porque isso é que não nos vai ajudar a ganhar de certeza. No ano passado, o vídeo do Salvador esteva repleto de críticas de portugueses e depois foi o que foi. Sinceramente, não acredito que ganhemos. Não tem nada a ver com a qualidade das músicas, tem a ver com outros factores. Este é o meu top, mas vou estar a ver e a torcer pelo nosso representante. 

Playlist 100 músicas de 2017 // Few days on land

IMG_20171231_121832.jpg

 

Este ano decidi formar uma única playlist com músicas tanto nacionais como internacionais que foram importantes e que impactaram o meu 2017 por serem as melhores do ano. O objetivo nunca foi ter 50/50 de representação nacional/internacional. A intenção foi escolher entre as músicas mais ouvidas e as mais supreendentes, mas as melhores. Daí que o que vão encontrar não teve limitações de género musical ou outro, de país de origem e de relevância do artista/banda no meio. A única limitação foi não escolher mais do que uma música de cada artista/banda (só dos melhores álbuns do ano escolhia praticamente o disco inteiro se assim fosse). Para além disso tive também de limitar a 100 músicas porque inicialmente seriam 50 mas não sou uma pessoa de resumos - risos - e portanto quando vi que a playlist estava a chegar às 100, parei. São mais de 6 horas de música (são praticamente 7, mas pronto...) para lembrar que 2017 foi uma riqueza no que à música diz respeito.

 

Nesta playlist podem encontrar nomes mais consagrados, como é o caso dos primeiros Susanne Sundfor (autora do melhor disco do ano), Kendrick Lamar (que não ficou longe disso), assim como os The xx, os Portugal. The Man, os alt-J, as HAIM ou os London Grammar, por exemplo; mas podem também conhecer ou voltar a ouvir artistas que, neste caso, descobri com a ajuda do Spotify e do Youtube em 2017, como Lewis Capaldi, SYML, Criolo, Rationale, entre outros que levo comigo para o futuro.

 

Relativamente a artistas portugueses, a playlist conta com nomes como D'Alva, Manuel Fúria e os Náufragos, Salvador Sobral, Surma, Tiago Bettencourt, Alexander Search e mais.

 

 

PLAYLIST 100 Músicas de 2017:

 

Gostaram das minhas escolhas? Se sim, consultem a playlist no Spotify e guardem-na para mais tarde recordar. De qualquer forma, falem-me das vossas músicas favoritas do ano. Digam-me quais as surpresas, quais as deceções e que música falta nesta lista (se for caso disso). Espero o vosso feedback.

 

Que 2018 seja tão bom ou ainda melhor do que 2017!