Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

YES! James Bay no NOS Alive

tumblr_ng9dr1QZJK1u1m1p3o1_1280.jpg

 

YES, James Bay no NOS Alive! 

 

Tinha a certeza que este senhor viria ao NOS Alive este ano. Uma certeza tão absoluta que foi finalmente confirmada. Estou mesmo feliz. Aliás, não podia estar mais feliz. Obrigada (mais uma vez) ao NOS Alive​, à equipa que gere as bandas e músicos que marcam presença no festival. Ano após ano criam um novo cartaz, sempre interessante, sempre actual e com aquilo que nós queremos realmente ver, tudo organizado de forma pensada e inteligente pelos três dias do festival. E não há direito a um dia mau. Fantástico, a sério! Mas que excelente cartaz!! E as confirmações ainda vão a meio. Espero agora a confirmação de Hozier porque bem sei que ele vai estar pela Europa nos dias do festival e ainda não tem nenhum concerto agendado para qualquer dos dias do NOS Alive!!!!!. (Quando o Hozier for confirmado em Portugal, não digam que eu não tinha avisado! ).

 

Senhoras e senhores... James Bay!

 

Optimus Alive'14: os concertos

Este ano comprei o passe geral do Optimus Alive para ver Jamie xx, Arctic Monkeys, Foster the People, Imagine Dragons, The Lumineers, Bastille, The Black Keys, MGMT, Daughter, Chet Faker, D'ALVA, Paus, You Can't Win, Charlie Brown e Manuel Fúria e os Náufragos. Por uns tinha mais curiosidade de perceber a dinâmica que apresentam ao vivo, outros estavam entre as minhas escolhas por serem novidade e os últimos - que muitas vezes são os primeiros e vão perceber porquê com este texto - porque gosto sempre de perceber como está a evoluir a música portuguesa. Houve bandas que não consegui ver por chegar tarde (o trabalho não permite mais!) e outras acabei por perderpor estar a gostar dos concertos que estava a ver no momento e não quis perder um segundo. Infelizmente não consegui ver Paus e Manuel Fúria e os Náufragos, mesmo que, quanto a estes últimos, já seja a segunda vez que tenho a oportunidade. O problema é que acabo sempre a pensar: "terei outras oportunidades de os ver". E espero ter! Também acabei por não conseguir ver The Lumineers. Por outro lado, vi The 1975 que não conhecia muito  bem e cheguei a tempo de ver os D'ALVA, e já não espera chegar a tempo de os ver. No meio disto tudo, registei algumas apostas perdidas e várias boas surpresas que passo a enunciar (recorrendo a fotografias e vídeos).

Optimus Alive'14 - Comentário Geral

O Optimus Alive NUNCA desilude. Dias antes do festival falava com um colega que este festival cria uma ligação com os festivaleiros, uma ligação que é praticamente inquebrável e que ainda nenhum outro festival em Portugal conseguiu bater. Bem, 2014 não foi excepção. Assim que passamos o pórtico da entrada, sentimos uma harmonia diferente, uma calma um tanto ou quanto "alternativa". Muitos apelidam o festival de mainstream porque não há quem não passe por Algés, nem que seja por um dia. Eu cá continuo a achar que este festival é só meu e sei que muitos outros pensam o mesmo. E porquê?