Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Festival da Canção: o meu top 3

Depois de ouvidos os temas da 1.ª e da 2.ª semifinal do Festival da Canção e de apurados os temas para a final de Guimarães, defini um pequeno top com as que considero serem as três melhores músicas e interpretações. É óbvio que tenho uma preferência (para que seria um top numerado se assim não fosse), mas desde que o artista selecionado para nos representar seja um dos três que identifico ficarei feliz.

 

Número 1: janeiro, "(sem título)"

Digam que ele é igual ao Salvador, eu vou contradizer-vos. Digam que ele tenta imitá-lo, mais depressa o faço. Inspirações existem, ídolos existem, amigos com os quais nos identificamos e com quem partilhamos características da nossa personalidade também. Salvador Sobral existe um, tal como janeiro. 

A existência em palco é completamente diferente, a música é ainda mais "despida" de arranjos instrumentais. A voz é doce e o acento é maravilhoso. Janeiro, um rapaz de fato-macaco, sentado numas escadas, com auriculares nos ouvidos, um ar de nerd e uma fita na cabeça a tocar guitarra e a cantar-nos ao ouvido um poema brilhante sobre como o amor pode ser tão maior do que 10 Lisboas (não podia concordar mais!). Um representante que menciona Lisboa na canção quando a Eurovisão acontece pela primeira vez em Portugal. Querem diferente de Salvador? Aí o têm. Dispenso outros episódios de bastidores que nada têm a ver com o que devíamos estar aqui a julgar: canções. Tenho dito. 

 

 

 

Número 2: Cláudia Pascoal/Isaura, "O Jardim"

Foi a primeira coisa que disse esta manhã no Facebook do Few days on land: fazia falta na final uma canção que fosse verdade, cor e movimento em três minutos. E, mais importante, mantendo a sensibilidade da interpretação e da letra. Cláudia Pascoal e Isaura conseguiram-no. A verdade é a da letra, uma história real, uma despedida sentida. A cor dos pormenores melódicos que na voz da Cláudia ficam incríveis. E o movimento dos acordes e arranjos. Quem disse que uma música de despedida não pode ter um ritmo marcado e distinto? Esta música tem voz, letra, música e interpretação na dose certa e por isso funciona tão bem. Emocionei-me.

 

 

 

Número 3: Diogo Piçarra, "Canção do Fim"

O talento do Diogo é indiscutível, tanto como cantor como enquanto letrista. Soube construir uma carreira depois de participar num talent show, encontrou um público fiel e é hoje um dos mais acarinhados músicos pop portugueses. Se não fosse por mais nada, por aquilo que alcançou já seria um digno representante. Mas depois aparece-nos com a "Canção do Fim" e anexa outra justificação à escolha. Estava à espera de mais, confesso. Algo com um ritmo mais marcado, mas que não perdesse a capacidade de emocionar-nos a todos. O Diogo faz isso muito bem. A música "Verdadeiro" é um claro exemplo de uma canção que consegue mostrar toda a amplitude vocal de Diogo Piçarra e ao mesmo tempo envolver-nos na história que é contada. 

A "Canção do Fim" é belíssima. Com todo o sentimento da interpretação e com os instrumentais pauta pela diferença (foi também o que convenceu na vitória do Salvador no ano passado). Eu entendo a mensagem que o Diogo quis passar mas acho que se torna repetitiva no contexto da Eurovisão, falando deste ano em específico (não sei se já ouviram falar da mensagem da música italiana?). Sinceramente, não acho que seja das melhores letras do Diogo. E não me fez sentido ele estar sentado no meio dos músicos. Bancos a girar? Ora apetece estar de perfil, ora de frente... Acho que devem pensar numa forma melhor de arranjar o palco para a final. A voz é incrível? É sim senhor. A melodia é boa q.b., mas esperava mais. Ainda assim, dentro das opções, parece-me uma boa escolha para a Eurovisão.   

 

 

 

Só mais uma coisa... Percebo que nesta altura ainda seja uma escolha que depende de quem consegue comunicar mais com o público, de quem passa melhor a mensagem ou de quem tem a música que emociona, sensibiliza ou simplesmente chama mais à atenção. Mas, sinceramente, acho que depois de selecionada a música vencedora devemos apoiá-la e não lançar críticas e ataques nas redes sociais porque isso é que não nos vai ajudar a ganhar de certeza. No ano passado, o vídeo do Salvador esteva repleto de críticas de portugueses e depois foi o que foi. Sinceramente, não acredito que ganhemos. Não tem nada a ver com a qualidade das músicas, tem a ver com outros factores. Este é o meu top, mas vou estar a ver e a torcer pelo nosso representante. 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Joana Pires 28.02.2018 10:30

    Olá! Que bom que a diversidade de opiniões é tanta! Como disse em resposta a comentários anteriores, gosto da música da Catarina. Não só porque já conhecia o trabalho dela e do compositor Júlio Resende mas também porque defendeu muito bem a canção em directo. Se o top tivesse mais entradas, a Catarina seria uma delas com certeza. Mas foi só um top 3. Podíamos comparar a Catarina com outros artistas, reconhecer inspirações em outras canções também nesta actuação em específico (tudo isso é muito normal). Eu fico-me pelo valor da actuação. Na actuação da 1.ª semifinal, o Janeiro não me soa a Ben Harper, soa-me exactamente a Janeiro porque eu já conhecia o trabalho anterior dele. Há outras canções bonitas nas semifinais? Pois com certeza. Eu escolhi estas três e mantenho a minha opinião, mesmo com a desistência do Diogo. Caso a Catarina seja a eleita para representar-nos fico contente e vou apoiar porque acho que vale mais apoiar do que encontrar pontos fracos para criticar e tentar que outros intérpretes a concurso ganhem importância. Todos eles a têm - seja por opinião do júri ou do público que nem discordaram muito este ano - por isso é que estão na final.
    Obrigada eu pela visita e pelo comentário. Que vença a melhor canção porque é isso que importa a todos!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.