Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

O Few days on land comemora 4 anos

 

4_anos_de_fewdaysonland.png

 

Hoje o Few days on land faz 4 anos. Olhando para o futuro não tenho dúvidas que celebrará mais. Muitos mais, espero eu. E porquê? Porque desde o primeiro dia sinto que este é o único lugar onde não sou pressionada a falar do que não quero e a ser quem não quero, a fazer de conta que todos os dias correm bem e que todas as pessoas do mundo são perfeitas. Vocês sabem tão bem (ou melhor) do que eu: a perfeição não existe. Este blogue não é perfeito, mas é o mais verdadeiro possível. Quem me conhece mesmo muito bem sabe. E isso, quatro anos depois, ainda é o que me deixa mais contente sobre esta aventura. Ser meu. Ser verdadeiro sobre quem sou.

 

Nem sempre consigo estar presente por aqui. Aliás, neste último ano foi mais o tempo em que estive ausente. Mas sempre que estiver podem ter a certeza de que é por querer e por sentir que tenho de partilhar algo convosco. Mesmo não tendo estado tão presente como gostaria desde o terceiro aniversário do blogue, isso incrivelmente não me deixa ansiosa. Eu sei que quando voltar estará cá quem realmente gosta de ler aquilo que escrevo, quem gosta de ouvir as músicas que partilho e quem compreende que nem sempre pode existir uma publicação diária. Na verdade, somos todos humanos e eu sei que vocês compreendem.

 

Obrigada. É esta palavra que tenho para todos os que nunca desistem de visitar o Few days on land, mesmo que não seja todos os dias, todas as semanas ou todos os meses. Como disse antes, eu compreendo porque sei perfeitamente o que é não ter tempo/oportunidade para "visitar todas as capelinhas". Essa não é uma preocupação minha. Eu só me preocupo em mostrar-vos este meu mundo, as minhas "viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas" porque acredito que é isso que importa, esse estar e ser a 100%, mesmo que nem tudo seja bom, divertido e feliz. Mas também o é. E muito por vossa "culpa". Voltem sempre que quiserem. Espero ir tendo novidades para vocês. Obrigada, de coração.    

 

Se quiserem deixar alguma mensagem, crítica, apreciação... Sintam-se à vontade, como sempre.