Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Eterno 29

 (Imagem retirada da página do Facebook Oficial do Sport Lisboa e Benfica)
 
 
 
Lembro-me como se fosse hoje do teu sorriso. Lembro-me como se fosse hoje do que aconteceu de seguida. Pensei que um dia podia esquecer o momento em que caíste em campo, envergando o número 29. Pensei que um dia podia esquecer a tristeza de não voltar a ver-te levantar e sorrir de novo, fazendo um rewind à realidade. Mas se não esqueci em 10 anos, já não vou esquecer.

 

Lembro-me que fiquei junto à televisão a seguir todas as notícias que conseguia para saber como estavas e nunca esqueci o momento em que deram a notícia que nenhum benfiquista (e nenhum amante de futebol ou deporto em geral) queria ouvir. Chorei.

Como assim não íamos poder ver-te a jogar de novo? Como é que alguém que tem tantos médicos ao seu lado e que faz tantos exames a cada ano que passa podia morrer em campo, a jogar futebol, a viver a sua paixão minuto após minuto? Não entendi na altura e não entendo hoje porquê tu Miki. Porquê o nosso eterno 29?

 

Hoje, o dia em que ainda lembramos, o dia em que choramos a tua ausência, como se tivesses partido ontem. Tal como prometemos, nunca te esquecemos. Nunca te esqueceremos. Eras, já naquela altura, um talismã para o nosso plantel. Não duvides que o serás para sempre, estejas onde estiveres, agora como uma estrela, mais uma das estrelas benfiquistas que iluminam o lindo Estádio da Luz, mais um dos heróis que guardamos e guardaremos sempre bem junto da nossa história, na nossa lembrança, no nosso coração com igual amor benfiquista.

 

Hoje seria também o dia em que o King Eusébio completaria o seu 72º aniversário. Tristes coincidências que apenas servem para unir ainda mais a família que é o Sport Lisboa e Benfica e o amor que temos e que iremos sempre guardar pelos "nossos".

 

Infelizmente, o Benfica já teve de se despedir de muitos dos seus ídolos, dos seus heróis, de pessoas que contribuíram (e muito!) para a grandeza do nosso Glorioso. Por isso é que quando perdemos um campeonato e me perguntam se estou triste digo que não. Campeonatos há muitos, se não conseguimos ganhar este ano, tentamos no próximo. Porque mesmo quando perdemos campeonatos, taças e afins, não perdemos o orgulho e o amor em "ser Benfica". Vida existe apenas uma e já desapareceram algumas bastante especiais para o Benfica e para os benfiquistas. Nunca serão esquecidas, é certo. Nunca perderemos o orgulho que sentimos por elas. Nunca deixaremos de celebrá-las pelo que nos deram e por terem tornado o Benfica naquilo que ele é hoje, o maior clube português. Mas é difícil saber que já não estão connosco a ver o Benfica crescer.