Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Álbuns de 2016: Anti, de Rihanna

A Rihanna é uma daquelas artistas que não se diz que se ouve. Convém... Ao estilo do Bieber. Mas, de repente, este Anti ia ser tudo... Eram as revistas e os experts no assunto a dizer que estavam muito ansiosos pelo disco, que ia ser diferente, muito mais underground, muito menos pop, que prometia muito. Prometia, prometia mas... Não cumpriu. Pelo que li, só o lançamento originou vários contratempos: primeiro era para ser lançado numa data, depois era para só ser disponibilizado a alguns clientes em primeira mão, e acabou por "cair" na internet, disponível e gratuito para quem quisesse fazer o download. A polémica levou-me a perder algum tempo a ouvi-lo. É que foi mesmo uma perda de tempo! 

Comecei a ouvir enquanto escrevia umas coisas para o trabalho (só assim é que consigo ouvir música agora). Passado 20 minutos pensei: então mas isto ainda está na mesma música?. Estava na sétima. Achei as músicas muito semelhantes. Não começou muito bem. "Kiss It Better" pareceu-em ser a canção menos má desses 20 minutos, é mais o estilo dela. Em "Work", canção-tipo de Rihanna, a cantora parece uma autêntica criança a cantar. Na na na. Uaba Uaba. Ta ta ta. Não percebi. 

 

 

 

r82.jpg

Depois de tudo isto, o disco é uma valente seca. Na minha opinião, acrescenta muito pouco ao que ela tinha feito anteriormente e acredito que a Ri Ri não queira voltar a ir por estes caminhos. Talvez "Never Ending" se salve por entre os pingos da chuva e ainda tínhamos de pensar bem nesse assunto. Tem muitos sons que relembram outros artistas. E quando pensamos "ok é melhor nem falar nisso para não parecer que isto está um desastre completo e nada se aproveita", esta senhora resolve fazer uma cover de "New Person, Same Old Mistakes", dos Tame Impala. Aí sim o desastre total.

 

Não sou a maior fã de sempre de Tame Impala. Considerei o álbum deles o melhor de 2015 porque o é e porque sigo o percurso que têm vindo a fazer. Há muitas músicas que são das melhores que tenho ouvido nos últimos anos, mas não sou uma enciclopédia no que respeita à banda. E, ao que parece, a Rihanna também não é. Uma verdadeira fã da canção, que ela intitulou de "Same Ol Mistakes", nunca faria o que ela fez: nada. O Kevin Parker já cantou na versão original todos os falsetes que Rihanna tenta imitar. Ela podia ter feito muito mais do que apenas cantar a música como se estivesse a adormecer. Se forem ouvir as duas versões supostamente distintas percebem que é só tirar as partes em que o Kevin não faz falsetes e temos a linha musical da versão incluída em Anti, ou seja, é como se a Rihanna se tornasse uma das backup singers dos Tame Impala (que eles não têm mas podiam precisar para trazer ao Alive). Ridículo. Chega até a ser insultuoso.  

 

Depois de ouvir isto, recupero esses grandes versos de "Work": Na na na na na na