Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Few days on land

Um retrato do dia-a-dia de uma jovem de viagens quase sempre musicais e nem sempre coloridas.

Os pormenores de uma festa sem igual

O chapéu oficial, feito à mão

Uma Tuna a actuar pelas ruas da Vila de Ponte de Lima

Os bonecos alusivos à Romaria que estavam espalhados por várias montras

 
O que seria das Feiras Novas se não fosse possível aos mais pequenos a compra de bombos e concertinas? É mais uma parte da tradição!
Agora o talento de um senhor que pinta ao vivo estes quadros tão bonitos. A arte do senegalês Moustapha Kebe:

Feiras Novas

Chegaram as Feiras Novas, as tradicionais festas de Ponte de Lima. Logo que me foi possível visitei a vila e constatei que o ambiente, embora seja calmo, já começa a lembrar as "lotações esgotadas" de anos anteriores, com milhares de pessoas a percorrer as ruas de Ponte de Lima. Prevê-se que a Romaria que começou ontem (oficialmente) e que se realiza até ao dia 9 de Setembro anime os habitantes da vila, os visitantes e os turistas com os cantares ao desafio, as rusgas e as concertinas, tão próprias do seu povo.   
E este foi o lanche desta maravilhosa tarde! 
 

Romaria da Senhora d' Agonia: o segundo dia

As colchas com motivos alusivos a Santa Luzia, à Senhora da Agonia ou a outros símbolos relacionados com a romaria são tradicionalmente colocadas às janelas durante as festas da cidade. Autênticos tesouros, relíquias de enorme valor para as famílias de Viana do Castelo. 

Os motivos relacionados com os trajes estão espalhados pelas ruas. Como é o caso desta "chinela do traje de festa" gigante que encontrei, nela podemos ver alguns simbolos da natureza ou elementos geométricos, alguns dos tradicionais relacionados com os diferentes trajes vianenses.

O almoço foi no Fontinha Gourmet e foi uma Sandes Santa Luzia, algo muito simples, uma vez que a diferença está no pão da sandes: pão saloio. Óptimo aspecto e deliciosa sandes, por sinal! Depois, uma sobremesa adequada ao Verão, que decidiu dar os seus ares ao longo do dia: um gelado de melancia e maçã verde da Gelataria Gôndola. A mistura de sabores ficou muito agradável e fresca. 
  

Mas para almoçar com calma e sossego, como é aconselhável, valia ouro a vista que tinha naquele local. Sortuda, não?

E hoje foi o dia do Cortejo Histórico – Etnográfico, que este ano se chamava Viana “Caravela do Mar". Há quem espere muitas horas para guardar o melhor lugar para ver este cortejo. Minutos antes do início do "desfile" da história de Viana do Castelo desde a sua fundação, a Avenida dos Combatentes de Grande Guerra, a principal avenida da cidade estava assim:
Alguns momentos do Cortejo Histórico – Etnográfico em fotografia:

Os trajes mais bonitos da Romaria da Senhora d' Agonia

Hoje, no primeiro dia da Romaria da Senhora d' Agonia, as Mordomas saíram à rua para o "Desfile da Mordomia". No final, sorriam sem parar para centenas (arriscaria-me até a dizer milhares) de fotografias não só de turistas e jornalistas mas também dos moradores da linda cidade de Viana do Castelo. O ouro é sempre o tema mais comentado das reportagens televisivas mas gostaria de destacar os lindíssimos trajes presentes neste desfile. Em seguida, apresento-vos os quatro que mais gostei de ver desfilar pela cidade.

 

O Traje de Meia senhora é, segundo a Catarina, "o traje utilizado pela mulher recém-casada que, depois de o marido ir trabalhar para fora e como não tem dinheiro para comprar o traje completo, o compra por peças, aos poucos".

 Catarina

 

Traje à Lavradeira, traje utilizado em dias de festa pelas mulheres solteiras.

 Mafalda Rego

 

Traje de Lavradeira de Dó, caracterizado pelas cores mais sóbrias "para as senhoras não darem nas vistas quando os maridos estavam a trablhar fora", como me disse Sónia Braga, envergando este mesmo traje.

 Sónia Braga

Traje de Mordoma

Ana